Envol du Phénix, site accompagnant les transformations en cours.

BUDA

14/10/2014


MP3
    


Eu fui Buda, e eu venho revelar a Presença, Presença que leva a revelar a Verdade final.
A Presença que não se importa com o movimento.
A Presença que não se importa com a beleza.
A Presença que não se importa com o movimento, a Presença que floresce no Silêncio.

Também, eu lhes proponho acolher a Presença, no Silêncio das palavras...

[Silêncio na Presença]

Você ouve o Silêncio?
Você reconhece a Presença?
Presença que, a partir de agora, revela-se, inteiramente, na humanidade... o que leva a viver a evidência, leva a reencontrar o que você É.
Eu não venho desenvolver um novo ensinamento porque, hoje, mais do que nunca, é em você, e unicamente em você, que você encontrará a Verdade.

O tempo e o espaço estão em vias de dissolução total, dissolução suficientemente avançada, eu diria, para que você possa reconhecer que todos os Seres que vieram iluminar a humanidade, em diferentes momentos de sua história, em diferentes lugares do planeta, todos estão aí, comigo, ao seu lado.
Eu ando em seus passos, como você anda em meus passos.
Não pode ser de outro modo.
E a ilusão da separação está em seu fim.

Esse mundo separado, fechado, morre, para renascer de suas cinzas na Verdade.
O tempo fez seu tempo, assim como o espaço.
Tudo isso é chamado a fundir-se na Verdade, na Vida.

Amigos em encarnação, Luzes do mundo, venham colocar-se na Presença, venham ao Centro da Roda, aí, onde nenhum movimento pode instalar-se.
Amigos em encarnação, venham fundir-se na última Verdade.
Não procurem preservar o que quer que seja.
O que vocês São nada pode perder, nada ganhar.
O que vocês São é Perfeição, de toda a Eternidade.

Então, não procure o que você deveria acrescentar, o que deveria retirar.
Reconheça que você é Perfeição, Presença, Silêncio.
Para além de qualquer noção dividida, tal como o bem e o mal, o belo e o feio, o agradável e o desagradável, a Presença leva você.

Amigos em encarnação, é o momento, para vocês, de mostrar sua Força, essa Força necessária para abandonar-se, completamente, essa Força necessária para ter a coragem de tudo deixar, sem nada rejeitar.

Amigos em encarnação, tomemos o tempo, mais uma vez, de um Silêncio na Presença...

[Silêncio na Presença]

Amigo em encarnação, reconheça que entre você e eu não existe qualquer separação.
Reconheça que só a Presença desse corpo no qual você se coloca pode, por vezes, ainda, dar-lhe a sensação de um afastamento, de uma diferença, de uma individualidade.
Na Presença, tudo se funde, nenhuma diferença, nenhuma preferência…

Eu fui Buda, e eu sou Presença, como você é Presença…
Nesses tempos de Celebração, eu me junto ao conjunto de Seres que tem trabalhado no retorno da Luz, no retorno da Unidade na Ilusão.
E todos juntos, vimos festejar com vocês, Amigos em encarnação, Luzes do mundo...

Ainda uma vez, eu os convido à Força, eu os convido ao Amor, eu os convido à Retidão.
Isso para que a Verdade revele-se, em vocês e nesse mundo.
Nenhuma sombra poderá resistir.
Nada pode evitar o reencontro com a Luz.

Enfim, a Verdade exposta...

Amigos, Amigos de sempre, eu fiquei feliz de vir ao seu encontro neste dia.
E eu espero ter a oportunidade de vir novamente.
Enquanto isso, acolham todas as minhas bênçãos, acolham a Presença…
Eu lhes digo até muito em breve.



Transmitido por Air
http://www.envol-du-phenix.org/